Pimentão, morango e uva contêm mais agrotóxico

 

Pimentão, morango e uva contêm mais agrotóxico, afirma Anvisa

Análises da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em 17 alimentos encontraram problemas com agrotóxicos em 15% das 1.773 amostras (veja quadro abaixo).

O produto com mais irregularidades foi o pimentão (64%), seguido por morango (36%), uva (33%) e cenoura (31%).

Foram examinados grãos, frutas e verduras vendidos em 2008 em supermercados de todos os Estados -exceto Alagoas. Todos eles tiveram amostras em que foram detectados resíduos de agrotóxicos não permitidos para aqueles produtos. Em nove, havia resquícios de substâncias autorizadas, mas acima do nível permitido.

 

A Anvisa encontrou ainda um agrotóxico proibido no Brasil desde 1985. É o ometoato, detectado na cultura de abacaxi. O fato será comunicado ao Ministério da Agricultura e à Polícia Federal.

A agência e o Ministério da Saúde orientaram as pessoas a se informarem sobre a origem dos alimentos que compram e os lavarem bem. “Já mandei tirar o pimentão lá de casa”, disse o ministro José Gomes Temporão (Saúde).

Segundo Agenor Álvares, diretor da Anvisa, entre os possíveis problemas à saúde humana causados pelos agrotóxicos está o câncer. A maior parte dos casos, porém, ocorre com os trabalhadores que lidam diretamente com as substâncias.

Em 2006, último ano com dados disponíveis, foram registrados sete casos de intoxicação por agrotóxico por consumo alimentar e 1.927 durante o trabalho, segundo a Fiocruz.

José Menten, diretor-executivo da Andef (Associação Nacional de Defesa Vegetal) afirmou que a indústria aumentará a assistência técnica aos produtores. “Se temos baixos níveis no arroz [4,41% das amostras insatisfatórias], podemos ter também no pimentão.”

O programa da Anvisa é realizado desde 2001. Em 2007, o tomate foi o alimento com mais irregularidades encontradas -45% das amostras tinham problemas. Em 2008, o percentual caiu para 18%.

Importações

Outro problema ligado aos agrotóxicos que tem preocupado a Anvisa é o aumento da importação de substâncias proibidas em outros países. Um exemplo é o metamidofós, usado na cultura do tomate.

Dados do Sistema Integrado de Comércio Exterior mostram que, em 2008, ano em que a China proibiu o produto, foram exportados para o Brasil 4,2 mil toneladas. Nos dois primeiros meses de 2009, já entraram no país 4,4 mil toneladas de metamidofós. A agência reavalia agora o registro de 13 substâncias para decidir se elas devem ser proibidas.

 

There are no comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: